Por que eu devo me preocupar com meu visual?

Faz alguma diferença na minha vida?

Pode apostar que sim!!

Reflexões • Março de 2018

Muita gente acredita que cuidar da imagem é algo superficial, vaidade, que pouco tem a ver com quem somos. Escrevi esse artigo para mostrar para você a relação da sua imagem com o seu interior (sentimentos, pensamentos) e como pode ser usada como uma grande aliada.

Para que você entenda da melhor forma, permita-me começar por um fundamento básico:

A função primordial do seu cérebro é garantir a sua existência.

Um dos recursos utilizados pelo seu cérebro para isso é buscar coerência entre a identidade que você adota para si mesmo e suas respostas ao mundo: seus comportamentos, a forma que você interage com o mundo ao seu redor. Logo, tudo o que você pensa e diz sobre si mesmo, a forma que se veste, que se cuida, que arruma o seu lar…. tudo isso passa uma mensagem ao seu cérebro sobre a identidade que está adotando para si mesmo.

Portanto, as escolhas que faz para sua imagem impacta na forma como vai se sentir, o que vai pensar sobre si. Basta fazer um exercício simples: como se sente quando se olha e percebe que não está cuidando do seu corpo? Como se sente quando se vê desleixado(a), quando decide vestir qualquer coisa, algo que não representa uma imagem de uma pessoa que você admiraria?

Faça o teste:

  1. Passe alguns dias de forma que você julga ser a imagem de uma pessoa desleixada, com baixa autoestima, baixa energia e vitalidade. Observe como se sente, como se comporta, como interage com as outras pessoas. Como fica sua autoconfiança perante outras pessoas, perante todo o ambiente ao redor?
  2. Agora faça o contrário: pense na imagem de uma pessoa que você admira, que te passa uma imagem de pessoa autoconfiante, e transforme sua imagem conforme esta escolhida. Passe alguns dias dessa forma e observe como se sente, como se comporta, como interage com outras pessoas. Como fica agora a sua autoconfiança perante o todo o ambiente que te cerca?
  3. Faça mais um teste: vista-se com cores que você destesta!! E observe a diferença de como se sente e se comporta quando se veste com cores que ama!!

Tenho certeza que sua atitude mudou!!

A sua imagem faz parte da comunicação que você emite ao mundo!

A imagem que você escolhe para si mesmo é uma comunicação que você emite (a si mesmo e ao mundo) sobre a forma como se percebe (pode ser uma expressão momentânea, uma fase da vida, ou uma expressão por toda uma vida com poucas variações). Afinal de contas, todas as decisões que você toma em sua vida, no seu dia-a-dia, das menores às mais importantes, tem origem em convicções que se formaram ao longo de sua história, das quais geram seus pensamentos sobre tudo, provocando uma variedade de sentimentos que se transformam em decisões, incluindo a decisão da roupa que vai vestir, do sapato, do corte de cabelo, etc.

Ok…. como então usar isso a meu favor?

Se você tem o desejo de mudar seu estado emocional, seus comportamentos, sua autoconfiança (e consequentemente os resultados que obtém na vida), pode começar de forma imediata fazendo uma reforma em sua imagem. E indo um pouco além, a sua fisiologia (como anda, como fala, sua postura em qualquer lugar, como olha para as pessoas, etc) também impacta em como se percebe e se comporta, e pode igualmente ser alterado de forma imediata, sendo um grande aliado à sua transformação de imagem.

Essa mudança externa (imagem e fisiologia) vão mandar uma nova mensagem para seu cérebro, e ele imediatamente vai começar a produzir os pensamentos, sentimentos e comportamentos coerentes com a nova identidade que adotou para você. Através disso você vai cultivar o impulso que precisa para gerar mudanças maiores em sua vida, em suas atitudes em relação à sua vida como todo (seu projetos de vida, seus relacionamentos, sua saúde, etc).

Portanto, se está buscando uma transformação em sua vida, use todos os recursos que possui a seu favor, esteja sempre presente para si mesmo, cuidando de sua mente, corpo, fisiologia e imagem. Ame-se, cuide-se!

Um grande beijo!

By | 2018-03-29T00:45:36+00:00 março, 2018|Reflexões|