Quais são seus resultados?

Reflexões • Março de 2018

Sabe que diariamente escuto as pessoas infelizes em alguma área de suas vidas e pior, satisfeitas com suas próprias justificativas para suas infelicidades.

E você? Quais são os seus resultados? Como você se justifica? Quero te convidar para uma reflexão…

Analise sua vida, cada uma das áreas de sua vida… qual ou quais áreas você não está satisfeito(a) com os resultados que tem obtido? Se eu te perguntar o por quê tem vivido essa realidade insatisfatória, tenho certeza que você é capaz de justificar com maestria cada um destes resultados, de forma muito convincente… e você sabe por quê você justifica tão bem cada um deles? Se me permitir, vou agora te ajudar a compreender como seu cérebro funciona…

Encontrar justificativas para resultados indesejados é uma função de proteção de seu cérebro. Nosso cérebro tem a função de proteger a nossa vida, proteger-nos de dores dos mais diversos tipos e das mais diversas formas. Orientar as nossas decisões e comportamentos de forma a buscar o prazer e/ou afastar da dor é um dos processos de seleção (das melhores decisões e ações para cada momento) que nosso cérebro se utiliza para nos proteger.

No entanto, o processo de identificação daquilo que pode levar à dor ou ao prazer é baseado em suposições de acordo com a interpretação dada aos eventos da vida e, neste processo, podem acontecer interpretações inadequadas, levando a comportamentos nada saudáveis. Sem consciência dos processos que estão acontecendo internamente, podemos incorrer em comportamentos que nos afastam da vida tão desejada. Por isso é importante trazermos para a conciência esse mecanismo que ocorre dentro de cada um de nós de forma insconsciente.

Agora, se me permite, quero te ajudar a identificar o que acontece dentro de você mesmo.

Neste exato momento, convido você a analisar a realidade que vive atualmente, a qual é fruto direto de cada uma das ações que você toma e tomou em toda a sua vida. De cada ação que tomamos, resulta um fruto. Podem ser bons ou ruins. Exemplificando um pouco: comer mal é uma ação que traz resultados diretos em sua saúde e disposição. Praticar atividade física é uma ação que produz resultados diretos em sua saúde e disposição, assim como a ação de não praticar exercícios também vai trazer impactos diretos em sua saúde e disposição. Cada uma dessas ações causará impactos positivos ou negativos em sua saúde e disposição. E lembre-se que cada uma dessas ações serão sabiamente justificadas pelo seu cérebro!

Bom, neste primeiro momento de sua reflexão (vamos chamar de primeira etapa) peço que deixe de lado, apenas por um momento, as justificativas que você tem dado para cada resultado indesejado que identifica em sua vida, e faça essa correlação: ações tomadas/ações não tomadas versus resultados obtidos. Sem justificativas! Faça a correlação direta. Você consegue identificar quais comportamentos seus não estão gerando bons frutos? Olhe diretamente para estes comportamentos, sinta-os, repita-os para si mesmo(a): “eu não fiz tal coisa, logo, obtive o resultado “x”. Perceba-os com toda a itensidade possível. Como se sente ao olhar para o comportamento sem justificá-lo? Desconfortável? Culpado(a) talvez?

Agora, vamos para a segunda etapa: coloque em cena novamente as justificativas que havia deixado de lado. Traga os comportamentos identificados na primeira etapa seguidos de suas respectivas justificativas (Exemplo: eu não fiz aquilo, mas é porque aconteceu … justificativa). Como se sente agora ao repetir o comportamento acompanhado de sua justificativa? Mais leve? Consegue perceber o quanto elas tem o poder de mascarar o peso desses seus comportamentos não saudáveis identificados na primeira etapa desta reflexão? Ótimo!

Te convido agora para a terceira etapa da sua reflexão: você consegue entender que aceitar as justificativas produzidas pelo seu cérebro não vai te levar às mudanças desejadas? Percebe que aceitá-las, vai simplesmente livrá-lo(a) do sentimento de culpa e deixá-lo(a) razoavelmente confortável com um resultado indesejado? Quando você aceita as justificativas de seus comportamentos improdutivos, você se sabota.

Concluindo tudo isso

O que eu quero que você entenda com toda essa reflexão é que a única forma de você viver a realidade tão sonhada é parar de justificar seus comportamentos e promover as mudanças necessárias, e isso nada mais é do que uma DECISÃO que você toma, o que pode ser feito exatamente AGORA! DECIDIR mudar não só te moverá na direção dos resultados desejados, não só te levará à vida tão sonhada, como também o livrará de um sentimento de culpa que, nesse contexto, não faz o menor sentido existir! O ambiente de sucesso é um ambiente inóspito para a culpa!

Faço agora um último pedido a você! Responda a essas perguntas:

• Você quer se orgulhar das suas justificativas ou quer se orgulhar de seus resultados?
• Você quer viver seus resultados medíocres e comemorar suas brilhantes justificativas ou quer viver de atitudes produtivas e poderosas e comemorar resultados de sucesso? É uma escolha. Todos os dias você escolhe viver a vida que vive cada um de seus dias. Hoje é mais um dia de escolha.
• E então? Quais escolhas você vai comemorar hoje?

By | 2018-03-13T10:03:52+00:00 março, 2018|Reflexões|