Mudar… e o medo de não dar certo.

Como superar o medo de não dar certo.

ENJOY! • Janeiro de 2019

Um medo muito comum entre as pessoas que pensam em mudar de carreira é o medo de não dar certo. E por isso resolvi falar especificamente sobre este medo.

Em primeiro lugar…

Não tenha medo de sentir medo!!

Nem se sinta culpado!

Sentir medo é absolutamente normal.

O medo é uma reação natural do nosso corpo em resposta aos comandos do cérebro quando este identifica algum tipo de ameaça. A função primordial do nosso cérebro é nos manter vivos. Portanto, qualquer experiência que o cérebro entenda como uma ameaça, ele vai mandar produzir o medo.

Há 3 importantes fatores que o levam a ter o medo de não dar certo:

  1. Não saber o que quer. A falta de clareza leva ao espaço de dúvida. Esse cenário de incertezas gera medo.
  2. Não ter uma estratégia clara de COMO mudar. Mais uma vez, o espaço de dúvidas, gerando medo.
  3. Foco no que pode dar errado, ao invés de colocar o foco no que pode dar certo.

Um sentimento é sempre resultado de um processo de pensamentos, e muitos deles sequer temos consciência a respeito. Mas o ponto sempre é:

Um sentimento é sempre o resultado de pensamentos que temos a respeito de algo.

E este sentimento será sempre coerente com a natureza dos pensamentos.

Sabendo disso tudo, pense:

Se quando você pensa em mudar começa a pensar imediatamente que não sabe o que fazer, não sabe o rumo a seguir, não sabe como fazer, e começa a pensar em experiências que deram errado, em experiências de outros que deram errado, em crise, etc, como acha que vai se sentir? Lembrando mais uma vez que nossos sentimentos são coerentes com nossos pensamentos, qual o sentimento mais coerente com esses pensamentos?

Para sair das armadilhas deste medo, algumas considerações a fazer:

  1. Tome consciência dos tipos de pensamentos que estão aparecendo quando pensa em mudar de carreira. Reserve um momento e um lugar somente para você, para que possa observar atentamente os pensamentos mais discretos.
  2. Em seguida, questione os fundamentos destes pensamentos. Enfraqueça o poder destes pensamentos confrontando-os com a lógica.

A seguir, alguns questionamentos a fazer para os pensamentos mais comuns. Seja bem específico nas respostas que der a cada um destes questionamentos.

“Não sei o que fazer, não sei qual rumo seguir….”

  • Quantas vezes você se dedicou verdadeiramente a buscar e definir esse rumo?
  • Quais estratégias e/ou metodologias tentou que não deram certo?
  • Quais estratégias e/ou metodologias ainda não tentou?
  • O que as pessoas que acharam seu rumo fizeram e deu certo?
  • O que as pessoas que não conseguem achar seu rumo fazem ou fizeram e não dá certo?
  • Quais opções de estratégias para encontrar seu rumo existem ainda para serem exploradas por você?
  • Qual o seu grau de dedicação a buscar essas estratégias alternativas?
  • O quanto você realmente tem levado isso a sério na sua vida para condenar-se como alguém que não sabe o rumo a seguir?
  • Você não sabe o que fazer ou você AINDA não sabe o que fazer?

“Eu não sei COMO fazer essa mudança..”

  • Quantas vezes você se dedicou verdadeiramente a buscar e definir uma estratégia adequada para realizar essa mudança?
  • Quais estratégias e/ou metodologias tentou que não deram certo?
  • Quais estratégias e/ou metodologias ainda não tentou?
  • O que as pessoas que realizaram uma mudança de carreira fizeram e deu certo? Você já pesquisou isso?
  • O que as pessoas que dizem não conseguir fazer uma mudança fazem ou fizeram e não dá certo? Você já fez essa pesquisa?
  • Quais opções de estratégias para realizar uma mudança de carreira existem ainda para serem exploradas por você? Já fez essa pesquisa?
  • Qual o seu grau de dedicação a buscar essas estratégias alternativas?
  • O quanto você realmente tem levado isso a sério na sua vida para condenar-se como alguém que não sabe como mudar de carreira?
  • Você não sabe como mudar ou você AINDA não sabe como mudar?

“Ah mas tem o risco de mudar e dar errado por causa..

(da crise, de se arrepender, de não gostar da nova profissão, etc etc etc)”

  • Quais os riscos dos quais tem medo?
  • Seja honesto: esses riscos são reais (devidamente estudados e analisados) ou são apenas frutos de um “achismo” seu?
  • Quais as medidas que já estudou para minimizar esses riscos?
  • Quais as chances de esses riscos se concretizarem?
  • Essas chances são baseadas em que tipo de estudo/análise/observação/ estatística?
  • O que você pode fazer para lidar com cada um destes riscos?
  • E o que pode dar certo?
  • Quais as chances de o risco de dar certo se concretizar?
  • Quais estratégias já estudou/analisou/tentou que levam ao sucesso?
  • Qual o seu grau de dedicação a buscar as estratégias possíveis?

Após confrontar cada um de seus pensamentos, que geram o medo de não dar certo, verifique a mudança na intensidade deste medo. Perceba que eles perdem força à medida que você começa a identificar as fraquezas dos fundamentos que sustentavam estes medos.

Fique atento também a outro ponto: quando você começa a se livrar de alguns medos, o cérebro começa a buscar outras razões para mandar produzir o medo em você. Tudo isso na tentativa de mantê-lo afastado da possibilidade de mudança, a qual ele está entendendo ser uma ameaça.

Confronte cada um dos medos que aparecer. Até que vai chegar um momento em que não vai lhe restar outra alternativa senão…

… seguir em frente e mudar!

By | 2019-01-01T14:31:35+00:00 janeiro, 2019|Reflexões|